Notícias

Mães sabem: publicidade com dinossauro falante é abusiva

Mães sabem: publicidade com dinossauro falante é abusiva

Mães sabem: publicidade com dinossauro falante é abusiva

Após denúncias, o Criança e Consumo constatou que a publicidade de produtos do Danoninho se direcionam às crianças violando a legislação vigente.

 

A partir de denúncias enviadas ao Criança e Consumo sobre a publicidade do Danoninho, iogurte destinado ao público infantil, foi enviada ao Procon-PR uma representação contra a estratégia de comunicação desenvolvida pela empresa Danone. Nas denúncias, mães criticaram o efeito dos anúncios dos produtos nos filhos: “Meu filho, como muitas crianças, tem alergia a leite de vaca (…). Por mais que eu explique que ele não pode comer, ele alega que na TV falam que é bom para as crianças”. Outra mãe apontou para o caráter ilusório da propaganda, “tem uma ilustração rasteira que engana as crianças. Meu filho quer o dinossauro azul porque ele faz chover! Pode isso?”, escreveu.

 

A ação publicitária com o dinossauro

A Danone, responsável pela marca Danoninho, lançou este ano duas linhas para crianças, a “Dino Profissões” e a “Mini Dinos – Poderes da Natureza”. Na primeira, são 15 embalagens colecionáveis do iogurte com a imagem do dinossauro Dino, mascote da marca, em diferentes profissões. Na segunda linha, são cinco Mini Dinos (bonecos de plástico) que representam elementos da natureza. Eles são comercializados junto com as embalagens que contêm oito Danoninhos.

 

As linhas são anunciadas na televisão, no site da empresa, no Facebook, em jogos online e em vídeos no Youtube. No site, há uma área específica do “Mini Dinos” e vídeos com canções sobre as profissões do Dino. Em 2013, o Criança e Consumo enviou uma notificação à Danone apresentando a problemática em torno da publicidade infantil, principalmente aquela veiculada no site da marca, sobre a linha Dino City. Entretanto, a empresa não se manifestou e continuou com a prática ilegal.

 

As campanhas com o Dino apresentam diversos elementos atrativos que possuem apelo entre o público infantil. “No anúncio televisivo e nos vídeos do Youtube as embalagens da linha ‘Profissões’ aparecem em movimento, falando, cantando, dançando, como se fossem capazes de fazer tudo isso sozinhas, confundindo os espectadores, sobretudo as crianças”, ressalta a advogada Ekaterine Karageorgiadis. O anúncio dos “Mini Dinos” na TV também mistura fantasia com realidade ao colocar uma animação do dinossauro atuando com crianças reais. “Dessa maneira, a empresa busca confundir o público infantil e estimular a coleção das embalagens e o consumo habitual do produto pelas crianças”, explica Karageorgiadis.

 

Ainda como parte da estratégia de divulgação, a Danone lançou também este ano a série “Dino Aventuras”, protagonizada pela mascote da marca e por mais seis personagens. A série é vinculada nos canais infantis com o propósito de associar a imagem do Dino a um momento de diversão.

 

Publicidade abusiva e ilegal

A publicidade desenvolvida pela empresa é abusiva e se vale da deficiência de julgamento das crianças. A legislação brasileira proíbe as publicidades direcionadas às crianças, tendo em vista que a proteção da infância é um valor social que precisa ser respeitado, inclusive nas relações de consumo. O Criança e Consumo solicitou ao Procon-PR que sejam tomada medidas jurídicas para que a empresa interrompa com tal abusividade e ilegalidade, e futuramente deixe de realizar ações semelhantes, bem como repare os danos já causados às crianças.

 

O caso foi encerrado, em 2019, quando a empresa pagou uma multa de R$107 mil.

Leia também

Vigor é multada em mais de R$ 1 milhão pelo Procon-SP por publicidade infantil
Crianças como promotoras de venda, não!
Conheça o Observatório de Publicidade de Alimentos

X