Candide – LOL Surprise (março/2019)

Atuação do Criança e Consumo

A linha de bonecas LOL Surprise foi lançada em dezembro de 2016 nos Estados Unidos, com publicidade principalmente no YouTube por meio de canais voltados a crianças. As LOL Surprise são bonecas colecionáveis de cerca de oito centímetros de altura disponíveis em embalagens redondas envolvas em sete, nove ou quinze camadas de plástico. Cada camada revela dicas sobre a identidade da boneca, itens de vestuário e adesivos.

No Brasil, a linha de colecionáveis LOL começou a comercializada pela empresa Candide Indústria e Comércio Ltda. em meados de junho de 2017 e a principal estratégia comercial de divulgação adotada pela empresa foi o uso de redes sociais e canais no YouTube, com foco no público infantil.

A página da empresa no Facebook, desde o início da comercialização da boneca, publica imagens vídeos e gifs que remetem a todas as linhas de colecionáveis LOL. As publicações buscam convidar e estimular as crianças a conhecer a marca e, no fim, convencê-las a adquirir os produtos LOL. Isso, a partir de perguntas, brincadeiras e desafios, de maneira a criar um canal direto de interação entre a marca e o público infantil que circula na rede social.

Também, a partir da análise de alguns vídeos, foi possível concluir que a Candide se valeu de canais de unboxing e de influenciadores digitais mirins e teens para dirigir publicidade velada a crianças, com o intuito de promover as linhas de colecionáveis de LOL Surprise.

Outra estratégia adotada pela Candide foi a veiculação massiva de filmes publicitários em canais infantis da TV fechada, estimulando as crianças a adquirirem os produtos.

Além disso, não se pode negar que a forma como os brinquedos das linhas de LOL são construídos representa uma parte importante do sucesso das bonecas – colecionismo, surpresa, raridade de alguns itens e materialização da prática do unboxing.

Diante desse cenário, em 15.3.2019, o Criança e Consumo, programa do Instituto Alana, encaminhou Representação ao Centro de Apoio Operacional da Defesa dos Direitos do Consumidor do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MP-ES).

Na denúncia, o programa aponta que as estratégias publicitárias e de comunicação mercadológica desenvolvidas pela Candide são abusivas e, portanto, ilegais, por desrespeitarem a proteção integral e a hipervulnerabilidade presumida da criança, em patente violação ao artigo 227 da Constituição Federal, aos diversos dispositivos do Estatuto da Criança e do Adolescente, artigos 6, 37, § 2º e 39, IV do Código de Defesa do Consumidor, Resolução nº 163 de 2014 do Conanda e artigo 5º do Marco Legal da Primeira Infância.

Além disso, o documento também demonstrou que a eficácia das estratégias de marketing e publicidade é um dos fatores centrais para explicar o consumismo da sociedade moderna; abordou a discussão a respeito do superendividamento das famílias e o estresse familiar gerado em razão do elevado grau de exposição das crianças à publicidade e, também, a relação entre consumismo e prejuízos ambientais.

 

Atuação do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MP-ES)

O MP-ES, por meio de sua Promotoria Regional do Consumidor, instaurou Notícia de Fato nº 2019.0008.4184-58 para investigar o caso e encaminhou ofício à empresa para que apresentasse esclarecimentos.

 

O Criança e Consumo segue acompanhando os desdobramentos do caso.

 

Arquivos relacionados:

Atuação do Criança e Consumo

15.3.2019 – Representação enviada pelo Criança e Consumo ao MP-ES

27.3.2019 – Notícia de Fato

X