Notícias

Recreio sem graça

Recreio sem graça

Recreio sem graça

Alana envia carta pedindo que evento “Recreio no Parque”, promovido pela revista Recreio, também seja investigado em procedimento administrativo que avalia distribuição da revista em escolas.

Embora a Editora Abril já esteja sendo investigada em um Procedimento Administrativo graças à sua estratégia de distribuir a revista Recreio em escolas, essa não é a única iniciativa da empresa que desrespeita os direitos das crianças. Em outubro de 2012, a Recreio realizou, pela segunda vez, o evento “Recreio no Parque, que levou ao Parque Villa-Lobos estandes de diferentes marcas com atividades voltadas às crianças.

image

  • Reprodução do site.

O evento promoveu “atividades e brincadeiras iradas” para as crianças “curtirem com a família e amigos”. No entanto, todas as brincadeiras eram patrocinadas por marcas como Ovomaltine, Mega Bloks, PBKids, Kumon, Copag, Protex e mini Schin. Ou seja, a empresa usou o entretenimento para transmitir mensagens comerciais para o público infantil, que não consegue distinguir entre a diversão das brincadeiras e a intenção da publicidade. Além disso, a ação se deu em um local público, e atingiu tanto quem estava ali para isso quanto quem foi passear no parque com seus filhos e não pôde evitar o bombardeio.

Com tantas abusividades, o Instituto Alana enviou no dia 4 de dezembro de 2012 uma denúncia ao Ministério Público do Estado de São Paulo, em que apresenta informações sobre a estratégia mercadológica da revista Recreio que podem ser úteis para a instrução do procedimento, e também merecem ser investigadas.

Acompanhe o caso. 

X