Notícias

Publicação aborda a publicidade infantil nos meios eletrônicos

Publicação aborda a publicidade infantil nos meios eletrônicos

Publicação aborda a publicidade infantil nos meios eletrônicos

O Panorama Setorial da Internet discute a publicidade infantil à luz dos resultados da pesquisa Kids Online 2013, coordenada pelo Comitê Gestor da Internet.

O Comitê Gestor da Internet no Brasil lançou em abril deste ano o Panorama Setorial da Internet que discute a publicidade, infância e tecnologia. A publicação apresenta um panorama geral sobre a comunicação mercadológica no Brasil e aborda os resultados da pesquisa Kids Online 2013, sobretudo no eixo publicidade e consumo.

O texto coloca em debate a Resolução 163 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) que foi publicada no Diário Oficial da União no dia 4 de abril de 2014, que reforça a proibição de publicidade direcionada ao público infantil. O assunto foi tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano passado e mostrou as diferentes posições sobre o tema.

A publicação também coloca dois pontos de vista sobre o assunto, Renato Godoy, jornalista, sociólogo e pesquisador do Instituto Alana aponta para os impactos negativos da publicidade infantil, “que vão desde o aumento do consumismo infantil, a formação de valores materialistas, de uma primazia do ter sobre o ser, passando até por consequências fisiológicas como, por exemplo, a obesidade infantil”. Já a professora do programa de pós-graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Maria Isabel Orofino, defende que os publicitários trabalham “sob a perspectiva das competências culturais da criança”.

A publicação traz o artigo “Crianças, adolescentes e os apelos comerciais em rede” de Inês Vitorino, conselheira do projeto Criança e Consumo do Instituto Alana. A professora da Universidade Federal do Ceará discute os apelos da publicidade voltada para o público infantil em um contexto de convergência de diferentes mídias.

Por último há um espaço “tire suas dúvidas” que reúne as principais legislações sobre a publicidade infantil e o que está em andamento no Brasil.


Leia aqui a publicação na íntegra.

X