Notícias

Dia histórico

Dia histórico

Dia histórico

Câmara Federal promove debate aberto ao público para tratar do consumismo infantil. Parlamentares receberam moção de apoio à regulação. #infancialivre

Ontem, 9 de agosto, foi um dia histórico no debate sobre os impactos negativos da publicidade dirigida a crianças no Brasil. Durante o 1º Seminário Infância Livre de Consumismo, alguns parlamentares e representantes do poder público receberam oficialmente uma moção de apoio a iniciativas de regulação da publicidade infantil o Congresso Nacional, aprovada pelos participantes da 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, em julho.

Entre os representantes do Congresso, a senadora Marta Suplicy e os deputados Paulo Teixeira e Domingos Dutra participaram do evento e puderam expor suas opiniões. “A ansiedade de todo adolescente é aplainada pelo consumo. Seu valor na sociedade está no tênis”, disse Marta Suplicy. Ela defendeu o ensino nas escolas infantis de leitura crítica das propagandas.

Já o deputado Domingos Dutra, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias que promoveu o Seminário, falou da importância de se discutir o tema do consumismo com a família e a sociedade. “Esse seminário é uma demanda legítima da sociedade civil”, afirmou. Ele foi apoiado pelo também deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que ressaltou que a publicidade dirigida ao público infantil gera inúmeros problemas para a sociedade brasileira. Para Teixeira, o Brasil precisa buscar uma regulação mais madura, “e não temê-la”

Sandra Amorin, do CONANDA, se disse preocupada com a distorção das prioridades no país em relação à infância: “Gasta-se mais com publicidade do que com educação. Será que já não está na hora de reverter essa lógica?”, indagou.

A coordenadora da Frente Parlamentar Mista de Direitos Humanos da Criança e do Adolescente, deputada Erika Kokay, chamou a atenção para o fato de a criança hoje ser alvo preferencial de publicidade. “Os apelos para o consumo são inesgotáveis. A criança hoje é um consumidor em potencial e estratégico para o mercado.”

X