Notícias

Feiras de Trocas de Brinquedos: em outubro e para todo o ano!

Feiras de Trocas de Brinquedos: em outubro e para todo o ano!

Feiras de Trocas de Brinquedos: em outubro e para todo o ano!

É possível se divertir sem consumir

O Dia das Crianças, celebrado em outubro no Brasil, vem todos os anos atrelado ao consumo e comemorado normalmente com presentes novos. O Criança e Consumo, programa do Alana, acredita que a data pode ser uma oportunidade para que famílias e crianças possam vivenciar uma experiência diferente de afeto e carinho e que não esteja  relacionada diretamente ao ato de comprar. Pensando nisso, o Criança e Consumo organizou uma mobilização no mês de outubro para incentivar pessoas e instituições a organizarem Feiras de Trocas de Brinquedos.

Dois meninos trocam carrinhos, o menino da direita segura um carrinho azul e o da direita um carrinho amarelo

Feira de Trocas em Minas Gerais. Foto: Na Pracinha

Esse ano, foram mais de 50 Feiras espalhadas por todo o país! O intuito da iniciativa, que surgiu em 2012, é proporcionar uma reflexão sobre o consumismo na infância. Mas com muita diversão, é claro. A ideia é que ao invés de comprarem presentes novos, as famílias levem suas crianças às Feiras de Trocas para que elas possam trocar e compartilhar brinquedos. Afinal, o que para alguém é antigo, para outras pessoas será novidade. Não é necessário, assim, consumir para obter uma experiência comemorativa rica em afeto e reflexão.

“Trocar é mais legal do que comprar! Com o mote símbolo das Feiras de Trocas que se espalham pelo nosso país, reunimos uma galerinha gente boa que topou apresentar um novo significado a essa data tão comercial”, nos conta Flávia Pellegrini, umas das idealizadoras do projeto Na pracinha e responsável por organizar uma Feira em Belo Horizonte, Minas Gerais. Esta foi a 6ª Feira de Trocas de Brinquedos organizada pelo projeto e contou com a participação de mais de 150 famílias.

Crianças com capas vermelhas estão em uma praça ao ar livre e brincam com fios coloridos

Quinta Caiçara, em Cananéia, São Paulo. Foto: Facebook

Muitas das Feiras ocorrem ao ar livre, em praças e parques. É também uma excelente oportunidade para as crianças interagirem com a natureza e espaços públicos, juntamente com suas famílias. “Ocupar espaços públicos é sempre uma surpresa desafiadora, porque nunca sabemos quem vem e o que pode acontecer e dá um friozinho na barriga! E foi deliciosa! As crianças trocaram muitas vezes entre si, brincaram… sem preocupações com o valor material do que estava ali!”, afirma Bruna Leite Santa, do Quintal Caiçara, organização responsável por organizar uma Feira de Trocas de Brinquedos na Praça do Tiduca, na cidade de Cananéia, litoral paulista.

Veja também:
– EcoAtivos surge para contribuir com uma nova cultura de sustentabilidade
Procon-ES multa Procter & Gamble por dirigir publicidade às crianças
– “SACIabilidade Imaginária”, por Flávio Paiva

Feira de Trocas de Brinquedos realizada pelo Colégio Anália Franco

As Feiras de Trocas não deixam de ser uma atividade educativa. E o pessoal do Colégio Anália Franco, responsável por organizar uma das dezenas de Feiras ocorridas no mês de outubro, concorda. “Foi um momento gratificante. As crianças estavam totalmente focadas na troca e com certeza essa foi a primeira de muitas! Além da feira de trocas nosso professor de circo vestiu-se de palhaço e resgatou brincadeiras antigas (pião, roda, etc). As professoras da educação infantil fizeram uma contação de história e uma oficina com sucata”, afirma Nevinka Tomasich, diretora pedagógica da instituição.

E a equipe do Criança e Consumo também colocou a mão na massa para organizar a sua própria Feira. Foram muitas as trocas que aconteceram no dia 12 de outubro, no jardim do Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, que ofereceu também outras atrações culturais abertas ao público, como o espetáculo ‘Aquarela Brasileira – Uma viagem pelas cores do Brasil’, realizado pelo grupo Canto in Club.

As Feiras de Trocas de Brinquedos podem ocorrer o ano todo e ser organizadas por qualquer instituição ou pessoa física, de qualquer lugar do país. Os interessados receberão material de apoio e se necessário, podem tirar suas dúvidas com a equipe do programa Criança e Consumo, do Alana. Acesse a página da Feira e veja aqui como organizar a sua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X