Notícias

Criança e Consumo se reúne com Sadia para discutir publicidade nas escolas

Criança e Consumo se reúne com Sadia para discutir publicidade nas escolas

Criança e Consumo se reúne com Sadia para discutir publicidade nas escolas

O encontro foi motivado pela notificação enviada pelo projeto à empresa devido a iniciativa ‘Saber Alimenta’ direcionada para crianças.

Após notificação enviada pelo Instituto Alana, por meio do projeto Criança e Consumo, à empresa BRF – Brasil Foods S.A, questionando o direcionamento de comunicação mercadológica ao público infantil na iniciativa ‘Saber Alimenta’, representantes do Alana e da BRF se reuniram em novembro para discutir o programa realizado em escolas e os problemas da publicidade no espaço escolar.

Durante o encontro na sede da empresa, com representantes da BRF, Instituto BRF e Lynx Consultoria e projeto Criança e Consumo, foi anunciado por parte da empresa que eles pretendem desvincular da marca Sadia o projeto ‘Saber Alimenta’, realizado em escolas brasileiras em parceria com o chef Jamie Oliver, e transferir sua execução e responsabilidade para o Instituto BRF, braço de investimento social da companhia.

Veja também:
– Atenção! Suplemento vitamínico da Peppa Pig não é divertido
– Empresas de chocolates são denunciadas por dirigir publicidade às crianças
– PBKids compromete-se a não realizar campanha de ‘compras grátis’

A ação ‘Saber Alimenta’, anunciada como um programa de educação alimentar baseado em metodologia desenvolvida pela Jamie Oliver Food Foundation, está prevista para acontecer em escolas e tem como foco alunos entre seis e 10 anos, segundo a própria empresa. A versão piloto do projeto teve início em uma instituição privada de ensino de São Paulo e, desde agosto de 2016, estão programadas atividades em escolas da rede pública catarinense, por meio de um convênio com a Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina.

Em outubro, o projeto Criança e Consumo recebeu uma resposta da empresa à notificação. A BRF alegou que a intenção do projeto não é promover a marca ou aumentar a venda de seus produtos, mas que se trata de uma iniciativa pedagógica e que pretende auxiliar na educação alimentar das crianças. Vale ressaltar que em agosto, entidades da sociedade civil divulgaram uma carta aberta declarando repúdio à parceria do chef Jamie Oliver com a Sadia para realização de ações em escolas.

Durante a reunião, realizada no dia 11 de novembro, Isabella Henriques, Diretora de Advocacy, e Ekaterine Karageorgiadis, advogada do Instituto Alana, reiteraram o conteúdo da notificação e demonstraram preocupação com a iniciativa que aparenta, segundo publicado em diferentes mídias, ter o objetivo de promover o conhecimento da marca e de seus produtos pelo público infantil dentro do ambiente escolar. Também apontaram que práticas comerciais direcionadas ao público infantil são abusivas, e, portanto, ilegais, por desrespeitarem a proteção integral e a hipervulnerabilidade da criança garantidas na legislação brasileira.

Os representantes da empresa negaram a presença da marca Sadia e de seus produtos nas instituições de ensino, e reconheceram como equívoco o anúncio do lançamento da linha de congelados da Sadia assinada pelo chef Jamie Oliver simultaneamente à divulgação do ‘Saber Alimenta’, o que teria feito com que esse último fosse compreendido como ação publicitária direcionada às crianças. Afirmaram a necessidade de alinhar certos aspectos do projeto para desvincula-lo da marca Sadia. Assinalaram, como uma das medidas que estão sendo pensadas, a transferência do ‘Saber Alimenta’ para o Instituto BRF.

A escola deve ser compreendida como um espaço privilegiado para a formação de valores, de modo que não se pode permitir a entrada de empresas comerciais externas ao cotidiano dos alunos por meio de práticas de publicidade e comunicação mercadológica. Acreditando nisso, o Criança e Consumo vai continuar acompanhando o caso.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X