Notícias

Assembleia Mundial da Saúde apoia relatório para erradicar obesidade infantil

Assembleia Mundial da Saúde apoia relatório para erradicar obesidade infantil

Assembleia Mundial da Saúde apoia relatório para erradicar obesidade infantil

Entre as recomendações está a restrição da publicidade de alimentos não saudáveis para crianças.

Os delegados da Assembleia Mundial da Saúde endossaram na última reunião, em maio de 2016, as resoluções presentes no relatório desenvolvido pela Comissão para Erradicar a Obesidade Infantil (ECHO) da Organização Mundial da Saúde (OMS) com recomendações para esse problema global. Entre as medidas está a restrição ao marketing dirigido às crianças. A reunião avaliou também outros temas relacionados à saúde (saiba mais aqui – link em inglês).

Segundo os delegados presentes na Assembleia, as abordagens e combinações de intervenções para erradicar a obesidade de crianças e adolescentes apresentadas no relatório devem ser eficazes nos diferentes contextos ao redor do mundo. A série de recomendações é voltada para todos os governos.

Veja também:
– Fim da publicidade para um mundo livre de obesidade
– Entidades brasileiras no combate à obesidade mundial
– Para erradicar a obesidade infantil: fim da publicidade de alimentos não saudáveis

A Assembleia Mundial da Saúde convocou o Secretariado da OMS para que seja desenvolvido um plano de implementação para orientar a ação futura, em consulta com os Estados-Membros, e convidou as partes interessadas a contribuir com as ações. A Assembleia também recomendou que os Estados-Membros apresentem o que estão fazendo no âmbito nacional para acabar com a obesidade infantil.

O documento da comissão é o resultado de uma pesquisa de dois anos realizada em diversos países e que contou com períodos de consultas públicas. O trabalho constatou que as crianças estão crescendo em um mundo cada vez mais obesogênico, que incentiva o ganho de peso e consequentemente o desenvolvimento de enfermidades.

A prevenção e o tratamento da obesidade infantil requerem, segundo o relatório, uma abordagem multidisciplinar que envolva diferentes setores da sociedade, cabendo aos governos assumirem a liderança na produção de políticas eficazes na batalha contra o problema e as partes interessadas reconheçam sua responsabilidade em agir em nome da criança para reduzir o risco da obesidade.

Clique aqui para acessar o relatório completo

Foto: Free Images

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *